terça-feira, 20 de abril de 2010

encontro

Ela andava perdida perdida. Pra lá e pra cá, visitando gente, imitando o Creysson, fumando o Bob, chamando o Hugo. Estava, digamos, tentando se encontrar, procurando entender seu lugar no mundo etc. Não queria se casar, não é isso. Tinha acabado de acabar uma dessas histórias parecidas. Mas estava à procura, sabe como é, viver um desses lances superficiais pra nunca mais voltar, pra não olhar pra trás e se arrepender do que faz, como diz uma natalina. Talvez tenha visto nele uma chance dessa. Talvez ele tenha visto nela algo semelhante. Um tric tric, um tatibitate, um spitnick, enfim... alguém sentiu alguma coisa suficiente para. E ela que não era de entrar, e ele que não sabia se sair, acabaram se encaixando por lá mesmo e deu no que deu. O vicio tem dessas coisas, depois é que começam as coceirinhas e se descobre uma intolerância à lactose, alergia a camarão, indigestão com coisas que levam gergelim. Vai entender! Só sei que os vejo juntos, ainda: o sorriso dele no ombro dela, as marcas dela no pescoço dele, e a sobreposição de tons das roupas que nunca estão combinando, que nunca parecem concordar que vão pro mesmo lugar. Mas já estão lá, sabe, se acharam.

14 comentários:

Í.ta** disse...

se perdendo é que se acha, não é mesmo?

bj

GUILHERME T DE BASTOS disse...

Como eu já ouvi por aí: quem vai se desorganizando para organizar-se sempre sabe o que não se faz, e não sabe onde está indo mas tem certeza de que está no caminho. Meio aquela coisa de ter um tarô com novos desenhos e não compreendê-los mas confiar na fé que então brotou, sabe lá o Diabo de onde, Diabo esse colocado aqui apenas por questão de estética, srsrs. Bem, Priscila, muito legal te ver por aqui, neste Recanto particular, todo seu e tão nosso. Um ótimo livro, para mim diria que está perto de uma enciclopédia impossível de ser chata, sabe? Digo "enciclopédia" porque, segundo o "Priberam", enciclopédia é a obra em que se tratam todos os ramos da atividade e do saber humano. Bem, se parece exagero que por aqui tudo se encontra, pode ser, mas, como acontecia no Recanto, quando por aqui estou não sinto saudades nenhuma do mundo. Logo: aqui é um mundo bem melhor! Daí então o tudo que se encontra. Um grande Abraço. Ah, Priscila, me permiti linkar este teu blog lá onde escrevo, o vazioainda.blogspot.com e se você também me permitir, o link continuará lá, rrsrs. Até breve.

GUILHERME T DE BASTOS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Eu também andei para lá e para cá, visitando gente...gente amiga que fiz durante os anos que vivi em Guaratinguetá S. Paulo e os meus familiares que ainda lá vivem. Visitei uma amiga virtual em S. Paulo que reencontrei através dos blogs, pois tinha-a conhecido nos tempos em que vivi no Brasil; depois perdi-lhe o contacto; agora fui visitá-la, infelizmente numa clinica a fazer sessões de quimio; está com um cancer há 4 anos; tem o blog o presente do presente e criou, já doente, o Bendizer uma organização para apoio a doentes oncológicos e suas famílias; ainda não abriu, porque a burocracia é demasiada. Agor estou de volta a Portugal para continuar com a minha vida; não é bom parte da vida num lado, outra também muito importante bem longe...para lá do oceano; mas foram escolhas e agora há que encará-las.Vim Pricila só para te deixar um beijinho e dizer-te que, agora que já tenho tudo mais ou menos em ordem, voltarei com mais frequência. Fica bem! Um óptimo fim de semana!
Emília

Roselaine Funari disse...

Querida Priscila,

que prazer te ler!

tô seguindo.

;)

jade.martins. disse...

!!!!!
Gostei, nuito.
Identificação é a palavra.

Enzo de Marco disse...

POrra legal ! encaixaria muito bem num poema cantado do Manfredinni

PS> daria uma boa Musica , violão e fogueira .
BJSss

sarah disse...

vai entender esses sorrisos e corpos inundados de alegria,
vai entender nossa vida..

vai entender !

A Moni. disse...

O bom dos planos é que eles surpreendem com caminhos completamente diferentes do roteiro inicial.
E de repente, o novo é o mesmo lugar, com uma nova chance...

Beijos!

Geraldo de Barros disse...

me encanta a sua originalidade

;)

BAR DO BARDO disse...

Suas "crônicas" me deixam chapado...

Mauricio Junior disse...

Gostei muito e penso que o melhor de tudo ainda é este sentimento de deixar o vento te levar para lá e para ca....... Muito interessante!

leila saads disse...

Esse encontro inromântico ficou ótimo, sem deixar de falar de amor.

Jardson Fragoso disse...

Um espaço de espaços...