terça-feira, 1 de junho de 2010

girassol

Amarela. Sorri girassol. Contempla horizontes. Onde? Onde? Acende odores que minha lembrança esconde. Surpreende e reza. Ajoelho e penso que é a voz de nós. Desatamos, desatamos; e só nos prende o que não segura a loucura que é sermos dois, duas, iguais em gênero e graus. Diferentes, daqui a pouco sente que o caminho é outro, que o agora é muito pouco, e faz as unhas, diz que é mulher de um homem só. Não sou, sozinho, não sou. Correspondo a mim e me igualo a qualquer um. Corro na rua; ela no sinal, pára o trânsito e grita vermelho, verde; amarela. Ela. Vai na frente. Ela. Ela. Estampando os dentes, corajosa. Ela. Ela. Ela. Eu, quase sempre, fico pra trás.

6 comentários:

Moni. disse...

Dois pronomes, tão pessoais
a brigar por um pódio que pode ser
comum-de-dois???

Adorei o texto. A pressa que ele tem. A velocidade que me empurra na leitura. O jogo de palavras costuradas pelo meio.

Muito, muito bom, Priscilla!

Beijos!

Stefanie Knabben Ribeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Stefanie Knabben Ribeiro disse...

Fiquei curiosa...heheheh- quem é amarela afinal
Sem contar que eu, te mandei uma msg 2dias depois dizendo que rezei...
Mas eu sou azul, tenho certeza
Sem contar que nao sou mulher de um homem só, apesar de com as unhas, estou impecavel...
Beijos

Vinícius Remer disse...

"Surpreende e reza. Ajoelho e penso" Da descontração e girassóis; da troca e sóis.

Geraldo de Barros disse...

esse seu texto foi um sol pra mim, como o girassol se movimenta de acordo com o sol, meus olhinhos seguiam seu texto palavra por palavra =)

lindo, Priscila

beijo,
G.

Julia disse...

Das coisas mais bonitas que li aqui.


Acho que "Eu" é verde, mas quando "Ela", amarela, surge, "Eu" fica vermelho.


"Ela" não vai nem vem. "Eu" nem sabe, mas fica na frente. "Eu" vai saber um dia e nem vai precisar pintar as unhas. Na verdade, "Eu" pode pintar as unhas a qualquer hora.

Sabe, vai abrir.