terça-feira, 8 de dezembro de 2009

par

Gosta de mim, eu sei. Eu sou mulher e mulher que sabe dessas coisas, ele diz, e deixa pra mim. Uma única vez, há anos, se passou no vinho, virou pra mim e disse: Mulher, você acha que eu sou feliz assim? Que você é mulher pra mim?, ao que respondi com paciência: É claro. É claro que sim. Eu estava tirando os pratos da mesa. Ele estava sentado, ainda, me olhando admirado; até hoje.

7 comentários:

Geraldo de Barros disse...

nossa, Priscila, que lindo!

um abraço,
Geraldo.

Wanessa Martins disse...

Que inspiração amorosa da vida cotidiana, da rotina, do amor e do companheirismo, és demais. Adoroooo!

Mai disse...

E pareceu-me uma dança qualquer.

Abraços.

A Moni. disse...

Tem coisas que só mulher consegue.
Tem respostas, que só mulher sabe dar.
Mulher, só mulher sabe ser...

Lindo, Priscila...

Guilherme Canedo disse...

A maior concepção de amor que nos é dada, não é dita, não é expressa por palavras e nem números, e sim por atitudes feitas a cada dia.

Ariel Pádua disse...

:)

Ariel Pádua disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.